Sábado, 15.08.09

 

 

CEBOLAS

Renegada ao grupo de alimentos deixados de lado no prato, a cebola é uma hortaliça milenarmente conhecida por suas propriedades nutricionais, sendo também utilizada na prevenção de diversas doenças. As tumbas egípcias, por exemplo, estão repletas de desenhos do alimento que tinha seu bulbo como símbolo do universo, coberto por diversas camadas que representavam os mundos: subterrâneo, atmosférico e espiritual. A devoção pelo vegetal era tamanha que os egípcios as usavam como oferenda e sacrifício para os deuses. Conta-se ainda que Alexandre, o Grande, estabelecia dietas à base do tubérculo para suas tropas. Mas, Afinal, o que esse ardido alimento oferece à saúde? 


Protetora do coração, inimiga das cáries, micoses e herpes, aliada contra o câncer e hipertensão, a cebola é ingrediente indispensável nas dietas balanceadas. Rica em flavonoídes (antioxidante), ela ajuda a diminuir a oxidação das placas de gorduras nas artérias e combate a velhice precoce. A cebola contém também quantidades generosas de cálcio, indispensável para a saúde dos ossos. O seu consumo freqüente pode reduzir o risco da osteoporose, doença que atinge um terço das mulheres após a menopausa. Além disso, a hortaliça atua como antiinflamatório e é capaz de reduzir os níveis de glicose sanguínea, sendo recomendada para os diabéticos.


Ainda há mais: a cebola apresenta uma quantidade importante de vitaminas do complexo B, essenciais na redução do colesterol ruim (LDL), na formação de anticorpos e na assimilação de proteínas pelo corpo. O betacaroteno presente na hortaliça combate radicais livres, aumenta a imunidade e estimula o metabolismo corporal. A cebola é também rica em fibras que auxiliam nas contrações musculares do estômago, contribuindo para um bom funcionamento do intestino.

É recomendada a ingestão de 50 gramas de cebola por dia, o equivalente a uma cebola média. Ela deve ser crua, já que grande parte das propriedades nutricionais são perdidas ao se refogar ou fritar a hortaliça. A nutricionista Vanessa Hentz adverte: “A ingestão excessiva de cebola crua pode causar gases e desconfortos intestinais e o cheiro do suor pode ser acentuado por quem come cebola demais”. Fora isso, não há contra-indicação, só uma extensa lista motivando os que ainda tinham problema com essa hortaliça tão saudável.

E aí?Você mudou sua opinião em relação à cebola? Vai continuar deixando-a no canto do prato?

tags:
publicado por Chicailheu às 14:53 | link do post | comentar | favorito
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

::RELÓGIO::
::SLIDES::
::MÚSICA DO BLOGUE::
últ. comentários
Como se prepara este marisco melhos este crustáceo
Comentário típico de alguém que NUNCA FEZ NADA NA ...
tem que ser faca eletrica?
pelos menos colocou uma receita para as pessoas pr...
Faça um molho cocktail de cavaco em vez de fazer a...
Olá bom dia!Somos produtores de chá preto e verde ...
Olá bom dia!Somos produtores de chá preto e verde ...
Meu amigo vç deve ser linguista ....mas pouco sabe...
Claro que um kilo de acucar para 500g de farinha, ...
Posts mais comentados
5 comentários
5 comentários
4 comentários
4 comentários
3 comentários
3 comentários
3 comentários
2 comentários
2 comentários
as minhas fotos
PRENDAS DE BLOGUES AMIGOS


::RELÓGIO::
blogs SAPO