Sexta-feira, 04.02.11

 

Há alguns alimentos que faço questão de introduzir no processo de reeducação alimentar e, um deles é o mel. Hoje vou falar um pouco das vantagens de se utilizar este alimento.


Durante muitos séculos a humanidade não conheceu outro alimento edulcorante que não fosse o mel de abelhas. Alimento natural, por excelência. Somente com o aparecimento dos açucares industrializados, de origem vegetal, passou o homem a substituir o mel de abelhas por outros alimentos adoçantes mais abundantes. Apesar disso, com o desenvolvimento moderno da ciência nota-se um retorno apreciável ao primitivo alimento graças as suas qualidades.Que falta nos açucares industrializados,por serem açucares (sacarose) de mais difícil digestão.Têm poucas vitaminas e são responsabilizados pelo aparecimento de algumas doenças,das chamadas "doenças da civilização(Diabetes e Descalcificação dos ossos)".


Composto por 17% a 20% de água, 76% a 80% de açúcar (50% glicose e 50% frutose) e pequenas quantidades de pólen, cera e sais minerais, o mel possui ainda inúmeras propriedades terapêuticas, flavonóides, proteínas, vitaminas e enzimas que melhoram o sistema imune, analgésica, anti-bactericida, antiinflamatória, funciona como laxante natural por ser um alimento pré-biotico, ou seja, alimento para as “boas bactérias” do intestino, também auxilia a digestão, e em estudos recentes atribui-se ainda, ao mel, o poder de revitalizar artérias e veias e reduzir os níveis de colesterol sanguíneo pelo seu poder antioxidante.


É diretamente assimilável pelo organismo, mesmo os mais debilitados, por ser já um açúcar invertido; é ótimo restaurador do sistema nervoso, graças a sua riqueza em tiamina e riboflavina, além de outras vitaminas.


Além de todos estes benefícios, o mel pode ser ótimo substituto do açúcar, já que o açúcar branco é fonte de calorias vazias e não oferece nenhum nutriente ao organismo. Para os praticantes de atividade física, é um ótimo repositor energético para ser consumido durante o treino, devido o seu conteúdo de glicose, já a frutose será armazenada no fígado na forma de glicogênio para ser utilizada quando o organismo precisar.


Mas atenção! Por possuir carboidrato simples (glicose) há a necessidade de evitar o consumo exagerado para manter a forma, duas colheres bastam para usufruir dos benefícios do mel, não precisa exagerar. Duas colheres de sobremesa, ao dia, são suficientes.


As crianças menores de um ano não devem consumir o alimento, pois há risco de alergia.


Algumas dicas de como incluir o mel na sua alimentação:
Durante a atividade física ele pode ser consumido em sache ou diluído em água ou suco natural;
Os méis mais escuros possuem mais propriedades nutricionais e aroma e sabor mais acentuados;

Só não vale aquecer no microondas, sob pena de perder sua ação nutritiva.

 

 

 

 

 

 

tags:
publicado por Chicailheu às 21:33 | link do post | comentar | favorito

publicado por Chicailheu às 21:29 | link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 02.02.11

Existem várias lendas em torno das origens do chá. A mais popular é uma lenda chinesa que conta que no ano 2737 a.C., o imperador Shen Nung descansava sob uma árvore quando algumas folhas caíram em uma vasilha de água que seus servos ferviam para beber. Atraído pelo aroma, Shen Nung provou o líquido e adorou. Nascia aí, o chá.

 

 Esta lenda é divulgada como a primeira referência à infusão das folhas de chá verde, provenientes da planta Camellia sinensis, originária da China e da Índia. O tratado de Lu Yu, conhecido como o primeiro tratado sobre chá com caráter técnico, escrito no séc. VIII, durante a dinastia Tang, definiu o papel da China como responsável pela introdução do chá no mundo.

 

No inicio do século IX monges japoneses levaram algumas sementes e introduziram a cultura do chá que se desenvolveu rapidamente. O chá experimentou nestes dois países - China e Japão - uma evolução extraordinária, abrangendo não só meio técnico e econômico, mas também os meios artísticos, poéticos, filosóficos e até religiosos. No Japão, por exemplo, o chá é protagonista de um cerimonial complexo e de grande significado.

 

Inicialmente, foi o Japão responsável pela divulgação da utilização do chá, fora da China, porém sua chegada a Europa não foi rápida. Referências antigas na literatura européia a respeito do chá, mostram o relato de Marco Pólo em sua viagem e que o português Gaspar da Cruz teria citado o chá numa carta dirigida ao seu soberano. Já a sua importação para o continente europeu ocorreu no início do séc. XVII pelos holandeses, em função do comércio que então se estabelecia entre a Europa e o Oriente.

 

A partir do século XIX na Inglaterra, o consumo de chá difundiu-se rapidamente, tornando-se uma bebida muito popular. Essa popularidade estendeu-se aos países com forte influência inglesa, como os Estados Unidos, Austrália e Canadá. Hoje, o chá é a bebida mais consumida em todo o mundo.

Cerimônia do chá

 
Em nenhuma outra parte do mundo, o chá teve uma contribuição ao meio cultural foi tão notável quanto no Japão, onde seu preparo e sua apreciação adquiriram uma forma distinta de arte.

 

 

No Japão, as pessoas, ao serem convidadas para uma reunião de chá, costumam comparecer com antecedência: aguardam sentadas em uma pequena sala, desfrutando da companhia uma das outras e desligando-se das atribulações do cotidiano. Esse encontro representa a manifestação clara de uma sensibilidade interior que se adquire através do estudo e da disciplina do Chado (TCHADÔ), o Caminho do Chá.

 

 Chado é um termo relativamente recente, com o qual se designa o ritual de preparar e tomar o chá, originado no século XV. Nessa época, o chá era utilizado como um suave estimulante, que favorecia ao estudo e à meditação, tendo sido valorizado também como uma erva medicinal.

 

A partir disto, mestres de chá devotos do Chado, desenvolveram uma estética, que se inseriu na cultura japonesa. Houve, entretanto, um mestre de chá que, durante toda a sua existência, concebeu essa filosofia como um estilo de vida e instituiu o Chado como um meio de transformar a própria vida em uma obra de arte - Mestre Sen Rikyu. Sen Rikyu resumiu os princípios básicos do Chado nestas quatro palavras: Wa, Kei, Sei e Jaku.

 

Wa significa harmonia. A harmonia entre as pessoas, a pessoa com a natureza e a harmonia entre os utensílios do chá e a maneira como são utilizados.

 

Kei significa respeito. Respeitam-se todas as coisas com um sincero sentimento de gratidão pela sua existência.

Sei significa pureza, tanto universal, quanto espiritual.

 

Finalmente, Jaku significa tranqüilidade ou paz de espírito e isto resulta da percepção dos três primeiros princípios.

Os monges Zen, que introduziram o chá no Japão, estabeleceram os fundamentos espirituais para o Chado e desenvolveram a estética do chá, incluindo, não apenas as regras para preparar e servir o chá, mas também a manufatura dos utensílios, o "conhecimento" das belas artes e das artes aplicadas, o "desenho" e a construção das salas de chá, a arquitetura dos jardins e a literatura.

 

Uma xícara de chá, preparada segundo os princípios do Chado, é o resultado de uma ritual de simplicidade desenvolvido para atender as necessidades de busca da tranqüilidade interior do homem.

 

 

 

 

 

 

 

tags:
publicado por Chicailheu às 20:04 | link do post | comentar | favorito

 

Quem não gosta de tomar um Chá com aroma a Rosas?...

 

 

 

 

publicado por Chicailheu às 20:02 | link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 01.02.11

publicado por Chicailheu às 05:10 | link do post | comentar | favorito

Cocktail de pêra, cardamomo e prosecco

(receita daqui)

 

Ingredientes

 

(para 8 pessoas)

8 vagens de cardamomo
100ml de água
½ medida de açúcar
1 medida de néctar de pêra
1 colher chá de sumo de limão
1 garrafa de Prosecco (ou outro espumante), bem fresco

Num almofariz (ou num saco de plástico bem fechado), moa o cardamomo, até que todas as vagens estejam abertas e as sementinhas pretas esmagadas.

 

Numa panela pequena, coloque o cardamomo, a água e o acúcar e leve a fogo médio, até ferver. Reduza então para fogo baixo e deixe reduzir durante 10 minutos, até obter um xarope que cubra levemente as costas de uma colher.

 

Leve novamente a lume médio e junte o néctar de pêra. Deixe ferver e remova, então, o xarope do fogo. Cubra e deixe repousar durante 30 minutos, para que o aroma do cardamomo se infunda no xarope.

 

Coe então o xarope, para lhe retirar os restos do cardamomo, e coloque num recipiente que possa ser fechado. Adicione o sumo de limão; tape e leve ao frigorífico até que esteja bem frio (o ideal é deixar pelo menos duas horas ou, se possível, de um dia para o outro).

 

Para servir, coloque 4 colheres de sopa do xarope em cada copo e complete com o Prosecco bem gelado.

  

publicado por Chicailheu às 05:02 | link do post | comentar | favorito
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

últ. comentários
Nagyon jó majd el készítem, de szeretném kérdezni ...
Ao verificar varias receitas acho a sua a mais ade...
Gosto desta receita de tangerina mas eu tenho 5 li...
Gostei desta receita. Era semelhante à da minha mã...
Como se prepara este marisco melhos este crustáceo
Comentário típico de alguém que NUNCA FEZ NADA NA ...
tem que ser faca eletrica?
pelos menos colocou uma receita para as pessoas pr...
Faça um molho cocktail de cavaco em vez de fazer a...
Posts mais comentados
5 comentários
5 comentários
5 comentários
4 comentários
4 comentários
3 comentários
3 comentários
3 comentários
2 comentários
as minhas fotos
blogs SAPO
subscrever feeds